Thom Yorke I Terceiro álbum solo de vocalista do Radiohead é um deleite eletrônico sentimental


Thom Yorke - "Anima", (2019)

Hype: Ótimo


O trabalho contempla nove faixas em uma mistura sólida de batidas eletrônicas e melodias com poesia e distopia na substância presente nos sons que o cantor traduz como uma moderna sinfonia que aguça os sentidos e questionam a realidade. Não tem como falar de Thom Yorke e não lembrar do grupo em qual ele faz parte, o Radiohead, uma das bandas mais criativas e de vanguarda que podem ser citadas no meio musical, em grande parte por causa de Yorke. O cantor e compositor já se arriscou outras duas vezes em trabalhos paralelos, em 2006 lançou The Eraser que não possuía muita distinção do seu toque pessoal e em 2014 realizou o experimental Tomorrow's Modern Boxes. Ano passado ele aceitou um convite no mínimo inusitado, compor a trilha sonora da refilmagem do filme de terror clássico Suspiria. Anima é uma parceria com o produtor Nigel Godrich, com quem o Radiohead trabalha desde “Ok Computer(1997). Essa colaboração é sentida em toda concepção das canções com vertente eletrônica e com o diferencial da pegada minimalista de Thom Yorke, já com 50 anos de idade, mas com uma energia incrível tanto na voz quanto nas idéias conceituais de ritmos e sintonia. O cantor passou por diversos bloqueios criativos e ficou quase 2 anos sem compor, esse intervalo de tempo só ressalta sua inspiração aflorada tanto no recente e maravilhoso “Suspiria” de 2018 como em Anima, nome que vem uma palavra latina que significa "alma", muito presente nas novas composições seja na abordagem assintomática, de sensações e vibrações nem sempre expostas, voando na imaginação e nos sonhos de maneira positiva sem se abalar pelas desilusões de uma vida "industrial". 
Não é um trabalho que vai te levar para baixo, é uma obra que pode gerar reações emocionais e até mesmo uma meditação. Acompanhe nossas impressões faixa a faixa de ANIMA: "Traffic" abre o álbum com uma batida eletrônica sombria e complexa. Lembra os bons tempos de Radiohead porém apresenta um tempero moderno que York expõe em um som limpo e neutro. É melhor e mais completa faixa do trabalho. "Last I Heard (... he was circling the drain)" é uma faixa experimental que pouco foge da melancolia do cantor porém ela possui um crescimento constante de batida e uma virada que empolga levemente. "Twist" começa levemente investindo no eletrônico até surgir a voz de Yorke acompanhada de efeitos sonoros e demais artifícios para uma apreciação elaborada de toda sua construção. Sua virada final traz luz e brilho a melodia, são lindos 7 minutos de música. "Dawn Chorus" certamente é aquela balada que vai te prender até o último verso."Se você pudesse fazer tudo de novo?" é um dos questionamentos da canção que se revela otimista mesmo que com um leve tom melancólico, termina como agradável e calorosa na medida certa. "I am a Very Rude Person" tem uma pegada urbana deliciosa que se confunde com uma faixa de Jazz. Perfeita para um lounge "Not The News" traz sintetizadores misturados a voz de Yorke em uma canção que poderia facilmente estar em algum trabalho do Radiohead, sua batida quase dançante se transforma levemente em uma balada. "The Axe" é uma música angustiante que se mistura com movimento da batida e com o ritmo crescente."Impossible Knots" traz em seu ritmo uma singela sensação deliciosa de paz e alivio. É como dormir e viver bons sonhos."Runwayaway" fecha o trabalho de forma moderna e quase buscando uma empolgação que na verdade é para causar um êxtase sobre o fim. 

ANIMA é um trabalho original em sua concepção de sons e delicioso para qualquer estado de espírito. Uma boa oportunidade de se integrar ao disco é assistir ao curta-metragem “ANIMA (2019)”, dirigido por Paul Thomas Anderson (“SangueNegro”) disponível para na Netflix. O trabalho é materializado nos três atos do filme com canções do álbum em um espetáculo de coreografia e imagens, o curta é co-estrelado pelo artista ao lado de sua namorada, a atriz italiana Dajana Roncione, em uma crônica urbana sobre distopias modernas. OBRA PRIMA.

Favorita do álbum:


São 09 músicas disponíveis nas principais plataformas de streaming pela XL Records.

 Ouça "ANIMA"



Assista "ANIMA" na íntegra na Netflix




Por Sérgio Ghesti